Causos Literários da Srta Borges: Se for de paz, pode entrar

Se for de paz, pode entrar

I Por Ligia Borges

I 2 de agosto de 2018

Já faz algum tempo que um leitor aqui do estoriando me fez um pedido. Ao ler o texto  O Jardim e a Literatura de Jorge Amado e Zélia Gattai  sobre a minha visita a Casa de do Rio Vermelho , em Salvador, ele me disse que gostaria de ler um outro texto menos informativo, menos jornalístico e mais subjetivo em que eu descrevesse as minhas emoções e sentimentos ao visitar aquele espaço. Esses dias, eu atendi o pedido dele e compartilho esse texto aqui com vocês, meus queridos leitores.

 

Brasília, 10 de julho de 2018

Evandro,

Já se passaram quatro meses desde que estive na Casa do Rio Vermelho, a residência onde viveu por mais de 40 anos o casal de escritores baianos Jorge Amado e Zélia Gattai. O tempo transcorrido desde que visitei o refúgio dos escritores fez com que eu tivesse uma outra visão da casa, dos objetos e até mesmo da  própria sensação experimentada durante aquela manhã em que me hipnotizei enquanto observava os detalhes e referências que marcaram a vida e a obra do casal dos escritores. O distanciamento dos fatos, às vezes, faz com que a nossa memória imprima uma espécie de idealização ou romantize algumas experiências que, neste caso, acredito se tratar de algo positivo, afinal de contas estamos falando de uma vivencia subjetiva e literária.

Se você tivesse me pedido para relatar essas experiências nos primeiros dias da minha visita, eu me prenderia a informações que apurei a respeito da vida do casal de escritores, das influências deles, da obra literária, como o fiz no outro texto, muito mais objetivo e informativo, pois a minha preocupação, certamente, era registrar os dados que colhi naquela visita e mostrar para as pessoas a existência desse espaço e o que ele oferecia em termos de insumo cultural para aqueles que estivessem de passagem por Salvador e quisessem conhecer um pouco mais da vida e obra dos escritores.

Passado esse tempo e superada essa necessidade informativa já que o outro texto cumpriu este papel que eu mesma me impus, quero compartilhar contigo aqui o que realmente senti visitando aquele espaço, me desprendendo um pouco da “obrigação” jornalística de te informar sobre a obra dos escritores, já que você se interessou mais pela minha experiência e emoções sentidas naquele espaço. Continue reading “Causos Literários da Srta Borges: Se for de paz, pode entrar”

Confira as nossas resenhas: Extraordinário

Extraordinário manifesto a favor da gentileza!

I Por Ligia Borges

I 5 de março de 2018

Gostei muito desse livro. Gostei de tal forma que tive dificuldade para falar sobre ele. É que depois do lançamento do filme tanto já se falou sobre Extraordinário que me pego pensando: “o que eu poderia falar de novo? O que poderia dizer para te convencer a ver esse filme ou a ler a história de August Pullman, o nosso Auggie”.

Ao contrário do que costumo fazer, dessa vez assisti ao filme primeiro que diga-se de passagem foi sucesso de bilheteria.  Eu achei o filme maravilhoso, saí do cinema com uma vontade imensa de comprar o livro e tê-lo em minha estante. E uma coisa extraordinária aconteceu, alguns dias depois não é que ganhei ele de presente!?

Confesso que acho complicada essa relação livro versus filme. Nem sempre as adaptações funcionam bem, geralmente, uma das partes deixa a desejar, no caso a segunda a ser lida ou vista. Apesar de, na maior parte das vezes, a decepção ser maior com filme – até mesmo porque é difícil competir com a imaginação –, o contrário, é raro, mas também pode acontecer de você gostar do filme e se decepcionar com o livro. Não foi o caso. Em Extraordinário, o melhor aconteceu: terminei a leitura e a achei maravilhosa também, parabéns aos roteiristas porque a adaptação ficou sensacional.

Filme baseado no livro Extraordinário de R. J. Palácio foi sucesso de bilheteria
Filme baseado no livro Extraordinário de R. J. Palácio foi sucesso de bilheteria

Tanto o filme quanto o livro conseguiram nos contagiar com a história de vida de um garotinho forte que nos mostra que a essência é superior a qualquer aparência. Essa é uma história de empatia, compaixão, aceitação e gentileza. É também uma história que faz com que a gente volte a ser criança e se identifique com muitos das dificuldades vividas por Auggie. Afinal quem de nós aí não teve as suas angústias na escola porque era tímido, ou porque era” popular” demais, ou porque era ” cê-dê-efe” ou porque tinha alguma deficiência. Dificuldades fazem parte da vida, mas Auggie nos mostra que não importa o tamanho da barreira que nos é imposta, ninguém tem o direito de nos limitar.

Esse é um livro de muitas histórias, muitas lições. É uma obra também sobre o valor da amizade, a importância dos amigos, nossos companheiros de jornada. Aqui eu destaco os muitos ensinamentos trazidos pelos amigos de Auggie: Jack Will e Summer. O livro nos mostra que amigos também erram, mas compreender que errou, pedir desculpa e construir uma nova relação também é uma lição sensacional trazida pelo livro. Durante a leitura, tomei a liberdade de grifar alguns trechinhos que chamaram a minha atenção. Vou compartilhar abaixo com vocês para que pensemos juntos a respeito disso tudo e possamos ser melhores em nossas relações cotidianas:

“ Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil”

“ Não é tudo um acaso, se fosse, o universo nos abandonaria à própria sorte. E o universo não faz isso. Ele cuida das suas criações mais frágeis de formas que não vemos …talvez seja uma loteria, mas o universo deixa tudo certo no final. O universo cuida de todos os seus pássaros.”

“Pensando bem, não sei por que fiquei tão estressado com isso. É engraçado como às vezes nos preocupamos muito com uma coisa e ela acaba não sendo nem um pouco importante.”

“ Porque não basta ser gentil. Devemos ser mais gentis do que precisamos. Adoro essa frase, essa ideia, porque ela me lembra que carregamos conosco, como seres humanos, não apenas a capacidade de ser gentil, mas a opção pela gentileza…”

Por fim, queria dizer que essa é uma história que deve ser lida e vista por crianças e adultos.

Título: Extraordinário  

Autor: R.J. Palácio  

Editora: Intrínseca

 Páginas: 320  

Sinopse Oficial:

“Extraordinário” é um livro que conquistou diversos públicos e foi adaptado para o cinema ainda em 2017! Aproveite para ler o livro e conhecer essa história inteligente, sensível e leve que traz mensagens sutis e humanas, deixando uma verdadeira lição de vida sobre respeito e amor ao próximo. “Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo” August Pullman (Extraordinário)

Não julgue um menino pela cara

Não existe nome mais adequado para este livro: “Extraordinário”. De leitura dinâmica, prazerosa e envolvente, “Extraordinário” conta a história de August Pullman, o Auggie, uma criança que nasceu com uma séria síndrome genética que o deixou com deformidades faciais, fazendo com que ele passasse por diversas cirurgias e complicações médicas ao longo dos seus poucos anos de vida. Auggie foi educado em casa até os 10 anos, quando começou a frequentar o quinto ano em uma escola de verdade. Ser o aluno novo não é fácil, mas com um rosto tão diferente pode ser ainda mais difícil! Auggie vai ter que convencer seus colegas do colégio particular de Nova York que, apesar de sua aparência diferente, ele é um menino igual a todos os outros.

Sobre a autora: Foi diretora de arte e designer gráfica de uma grande editora por mais de vinte anos, até estrear na literatura com Extraordinário. Mora em Nova York com o marido, os dois filhos e dois cachorros. Também é autora de 365 dias extraordinários, Auggie & eu, Diário extraordinário e Somos todos extraordinários.