Confira as nossas resenhas: Eu sou a lenda.

Um náufrago ilhado por vampiros

| Por C.J. Fernandes

|12 de março de 2018

Lembro de estar sem sono em uma madrugada dessas e ligar a TV na rede Globo e assistir, na sessão Corujão (nem sei se ainda existe), um filme em que um homem vivia aparentemente sozinho no planeta e tinha vampiros (ou monstros, ou zumbis, nem sei o que eles eram!) como vizinhos. Décadas depois soube que uma adaptação daquele filme sairia de novo, agora com o nome de sua obra original (sim, era baseado em  um livro!!) e estrelado pelo astro do cinema Will Smith. Imediatamente lembrei daquela sessão de filme na madrugada durante a minha adolescência. Assisti à nova adaptação e fiquei curioso em relação ao livro, até porque Stephen King e George A. Romero já haviam declarado que esta foi uma obra que os influenciou em suas carreiras. Um é o mestre do terror e outro o mestre dos zumbis.  Só isso.

Na verdade, existem três adaptações para a obra de Richard Matheson e elas, pelo menos das duas que assisti, não têm muita fidelidade com o livro. Isso é normal em adaptações audiovisuais, mas aqui a diferença realmente é grande. Como a resenha é sobre o livro, vamos a ela!

Robert Neville é o único ser humano comum na Terra após uma doença transformar os demais  em vampiros. Ao que tudo indica ele é imune e não se torna um mesmo sendo mordido. O livro mostra a rotina de Neville, a interação com os vampiros que o cercam e as teorias para o porquê daquelas pessoas virarem vampiros e terem fraquezas por conta do alho, propagação da praga e aversão a crucifixos (e se um mulçumano fosse vampiro?).

Um dos destaques do livro é justamente sobre as teorias e investigações científicas que ele cria para pesquisar a origem e as características dos vampiros. Para a época, o livro foi escrito em 1954, e até para hoje, poucos foram as obras vampirescas que criam uma teoria acessível sobre a origem dos sanguessugas. Além de divertidas e razoavelmente possíveis , essas pesquisas fazem também com que Neville tenha dias menos tediosos o que dá ritmo e propósito à obra.

Outro destaque fica por conta de uma inversão  da típica história de vampiros. Em uma história tradicional, vemos uma criatura da sombras lendária, solitária ou com alguns semelhantes e vassalos, chegar a uma cidade, aterrorizando a ela e aos seus habitantes que até então tinham uma vida comum. Aqui é o oposto. O mundo é tomado por vampiros e Neville é o único sobrevivente (um náufrago)  que mora em uma casa bem guardada (a sua ilha) rodeado por vampiros . Aqui, ele é a lenda!

O livro tem uma diagramação muito boa, mesmo tornando um pouco mais gordinho, a sua leitura é rápida e fluída. Entretanto, não é um livro intenso, a leitura pode até não agradar aqueles que gostam de um ritmo mais acelerado, embora nas últimas páginas o autor dê um novo sentido a Neville aumentando a intensidade da trama até o seu desfecho lendário.

Diferente de outros livros, há uma sessão extra no final contendo um estudo universitário sobre a obra e uma entrevista com o autor, Richard Matheson, que faleceu em 2013. Fiquei curioso para conhecer outras obras dele, algumas estão na minha lista para os próximos anos (2018 está fechado) entre elas fiquei curioso com: Em algum lugar no passado, Amor além da vida, O incrível homem que encolheu e A casa infernal (todos já adaptados para o cinema).

 

Título: Eu sou a lenda

Autor: Richard Matheson

Editora: Aleph

Páginas: 336

Sinopse oficial: Uma impiedosa praga assola o mundo, transformando cada homem, mulher e criança do planeta em algo digno dos pesadelos mais sombrios. Nesse cenário pós-apocalíptico, tomado por criaturas da noite sedentas de sangue, Robert Neville pode ser o último homem na Terra. Ele passa seus dias em busca de comida e suprimentos, lutando para manter-se vivo (e são). Mas os infectados espreitam pelas sombras, observando até o menor de seus movimentos, à espera de qualquer passo em falso… Eu sou a lenda, é considerado um dos maiores clássicos do horror e da ficção científica, tendo sido adaptado para o cinema três vezes.

Sobre  autor: Richard Matheson nasceu em 1926 em New Jersey e é considerado um dos principais nomes da ficção científica, da fantasia e do terror. Suas obras já influenciaram grandes nomes da literatura como Stephen King, Anne Rice e Harlan Ellison.

Matheson roteirizou episódios para o The Twilight Zone e Star Trek, adaptou as obras de Edgar Allan Poe para o cinema e escreveu o primeiro trabalho para TV de Steven Spielberg. Além disso, teve muitos trabalhos adaptados para o cinema, como Eu Sou a Lenda, O Incrível Homem que Encolheu, Em Algum Lugar do Passado e Amor Além da Vida.

Onde encontrar o melhor preço: www.amazon.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published.